Make your own free website on Tripod.com
Erinlè
É o deus do rio de mesmo nome, que corre na região Ijesá, é um deus da caça, um caçador de elefantes. Na região de Ilobu se faz o culto ao rio e ao Orisá Orinlè às margens dos lugares
  Obá
É a guerreira valente, terceira mulher de Sango, que na África é a divindade do rio de mesmo nome. No Brasil, Obá, por ser uma brava guerreira, está ligada ao elemento fogo.
profundos, seu símbolo é uma haste central com um pássaro no topo ladeada por mais de 16 lanças. No Brasil, Erinlè, ou Inlé, é considerado uma das qualidades de Osóssi, o Orisá caçador.  

Oyá Yánsàn
Rainha dos ventos, dos raios e das tempestades. Na África, é a divindade do rio Níger, mais conhecido como rio Oyá. A segunda mulher de Sango, participa juntamente com o marido, do elemento fogo.


Logun Edé
É filho de Odé Erinlè com Òsun Ipondá, que possui as características do pai e da mãe e participa dos elementos de ambos. É um Orisá da Terra, por ser filho de Osóssi e também da Água, herança de sua mãe Òsun.

Òsùmàré
Este é o Orisá do movimento, participa do elemento água quando ela sobe aos céus na forma de vapor e novamente cai sobre a terra na forma de chuva. Òsùmàré abençoa este e todos os ciclos, mas é, como a maioria dos Orisás do antigo Daomé, um deus do elemento Terra.
  Òrìsànlá
Todos os anos em inúmeros Candomblés do Brasil realiza-se a cerimônia das Águas de Osalá. Embora na maioria das casas a festa se realize no mês de janeiro (o início do ano para os cristãos), o ideal é que a festa seja feita entre os meses de agosto e setembro, pois o Candomblé não é uma religião cristã e acredita-se que neste período comeá um novo ciclo, um novo ano para aqueles que não comungam a fé cristã.
Osalá é a água da limpeza e da renovação.