Make your own free website on Tripod.com

 

OYA - Iansã

 

F ilha de Nánà, deusa dos ventos, das tempesta-des, dos tufões, dos elementos aéreos ligados ao relâmpago (ar + movimento = ao fogo). É a deusa do rio Níger na África, comanda os Eguns (os mortos). Conta uma das lendas que Iansã, a primeira esposa de Sàngó, teria ido, a seu mandato, a um reino vizinho buscar 3 cabaás que estavam com Obalúayé. Foi dito a ela que não abrisse estas cabaás, as quais ela deveria trazer de volta a Sàngó. Iansã foi e lá Obalúayé recomendou mais uma vez que não deixasse as cabaças caírem e quebrarem e, se isto acontecesse, que ela não olhasse e fosse embora. Iansã ia muito apressada e não aguentava mais segurar o segredo. Um pouco mais à frente quebrou a primeira cabaça, desrespeitando a vontade de Obalúayé. Saíram de dentro da cabaça os ventos que a levou para os céus. Quando termi-naram os ventos, Iansã voltou e quebrou a segunda cabaça. Da segunda cabaça saíram os Eguns. Ela se assustou e gritou: Reiiii! Na vez da terceira cabaça Sàngó chegou e a pegou para sí, que era a cabaça do fogo, dos raios.
Ela tinha um temperamento ardente e impetuoso. Foi a única entre as mulheres de Sàngó que, no fim de seu reinado, o seguiu em sua fuga para Tapá. Quando ele recolheu-se para baixo da terra em Cosso, ela fez o mesmo em Yiá.
Conta outra lenda que Ògún foi caçar na floresta.

 


Colocando-se a espreita, percebeu um búfalo que vinha em sua direção. Preparava-se para matá-lo quando o animal, parando subitamente, retirou sua pele e uma linda mulher apareceu diante de seus olhos. Era Oya, Iansã. Ela escondeu a pele num formigueiro e dirigiu-se ao mercado da cidade vizinha. Ògún apossou-se do despojo, descondeu-o no fundo de um depósito de milho ao lado de sua casa. Foi em seguida ao mercado fazer a corte à mulher búfalo. Ele chegou a pedi-la em casamento, mas Oya recusou-se inicialmente. Entretanto, ela acabou aceitando quando de volta a floresta não mais achou sua pele. Iansã recomendou ao caçador não contar a ninguém que na realidade ela era um búfalo, um animal.
Eles viveram bem durante alguns anos e ela teve nove crianças, o que provocou o ciúme das outras esposas de Ògún. Estas, porém, conseguiram descobrir o segredo da aparição da nova mulher. Logo que o marido se ausentou, elas começaram a cantar: "Voce pode beber, comer e exibir sua beleza, mas a sua pele esta no depósito, você é um animal." Iansã comprendeu a alusão. Encontrando sua pele, vestiu-a e, voltando em forma de búfalo, matou as mulheres ciumentas. Em seguida, deixou para seus filhos os chifres, dizendo-lhes que em caso de necessidade batessem um contra o outro e ela viria imediatamente em socorro deles.